Lua Cheia dia 28/12 às 8h21, horário de verão, em Sampa



Por Patrícia Mattar Oliva


“...vai ter barulho, vai ter confusão porque o mundo não se acabou” – Assis Valente


O conceito de evolução é derivado do conceito de tempo. Consideramos que evoluir é ampliar nossos poderes, fazemos previsões de futuro e colocamos no presente o caminho dessas visões. Cada indivíduo escolhe uma atitude, dependendo de sua personalidade; e a personalidade se molda pelas escolhas feitas.

Seguimos encantados pela ideia de que o poder promove liberdade aos que o detém. Vemos disputas e guerras e competições nos esportes, política, religião, profissões, famílias, até mesmo a gente consigo mesmo.

No topo da montanha, solidão. Descobrimos que a única liberdade que se pode usufruir é questionar-se, sempre.

E a Lua nos pergunta: qual a evolução possível para o inconsciente atemporal? Ou: como sonhar liberdade se somos presos aos hábitos, memórias, instintos e emoções?

Música e Festa na Lua Cheia



Sexta, 28 de Dezembro de 2012, 20h30



O violonista erudito Marcus Toscano fará uma apresentação com repertório que vai da renascença até os dias de hoje. Dai, festa de despedida de 2012!

A proposta do ano astrológico é percorrer o zodíaco através de modalidades artísticas relacionadas a cada signo.

Nesse encontro, o sol em capricórnio nos remete ao caminho para o futuro, os passos dados para alcançar as nossas metas, o desenvolvimento máximo do indivíduo, pessoal, profissional ou espiritual, a lua em câncer aponta para os sentimentos, as raízes familiares e culturais, as memórias, as heranças epigenéticas.


importante a pontualidade!

contribuição espontânea: cerveja em lata


Entrada pela Rua João Alberto Moreira, 50 (mapa)
próx. Metrô Vila Madalena


Lua Nova dia 13/12 às 6h41, horário de verão, em Sampa



Por Patrícia Mattar Oliva



Sol, Lua e Mercúrio em Sagitário. Júpiter em Gêmeos.

“deixe a meta do poeta, não discuta/ deixe a sua meta fora da disputa/
 meta dentro fora, lata absoluta/ deixe-a simplesmente metáfora” – Metáfora, Gilberto Gil.

Cada um tem sua verdade absoluta e a verdade é absoluta para cada um. Mas a vida exige que lidemos com as diferenças. Nossas certezas se manifestam através de nós a cada momento. E, de uma maneira ou de outra, nos pregam peças ou promovem regozijos.

Entender as peças e os regozijos é um passo para aceitar o absoluto alheio, exercer discernimento. Unir verdades é buscar a vivência terrena que propicia o eterno em nós. 

O desafio é entender que a esperança é filha do medo. A chave, discernir o medo legítimo, que nos defende e faz caminhar, das fobias que empatam a vida.

Lua Cheia dia 28/11 às 12h45, horário de verão, em Sampa




Por Patrícia Mattar Oliva

Eclipse lunar, na penumbra da Terra. Marte conjuto a Plutão em Capricórnio.


“quanto tempo pode durar um espanto? 
  onde lançar a voz?
  tempo
  tanto”  - como um samba de adeus -  caetano e chico


De que se trata “ser humano"?

Possibilidade de sonhar mistérios, buscar visões, ligar pontinhos, representar?

Mas... do que se trata a representação? Cada um interpreta como quer ou convém. Manipulação, pactos, conhecimento.

Como atualizar conhecimentos? 

Profissão é o que se professa todos os dias. Procurar o que se professa em nós é atenção a todo momento. Atenção nos pensamentos e ações. Tramoias e nudez... juntar memórias e visões é uma questão de instante.

E a Lua nos pergunta: como abrir mão dos pactos que nem valem mais, mas perduram?

clown na lua cheia



quarta, dia 28/11, às 20h30. 


a atriz, palhaça e diretora Silvia Leblon irá conduzir uma brincadeira de clown. venha com o movimento solto e traga cabeças. roupa confortável, chapéus, perucas de todos os tipos. 
a proposta do ano astrológico é percorrer o zodíaco através de modalidades artísticas relacionadas a cada signo. 
nesse encontro, o sol em sagitário nos remete à visão do porvir, filosofia e união com o todo. a lua em gêmeos aponta para a atenção ao momento presente, a dualidade e diversidade. 

importante a pontualidade!

contribuição espontânea: cerveja em lata


Entrada pela Rua João Alberto Moreira, 50 (mapa)
próx. Metrô Vila Madalena

Lua Nova dia 13/11 às 20h08, horário de verão em Sampa




Por Patrícia Mattar Oliva

Eclipse total do Sol em Escorpião, Mercúrio em Sagitário quadrado a Netuno em Peixes.


“Ah! Sol e chuva na sua estrada
mas não importa não faz mal
você ainda pensa e é melhor do que nada.
Tudo que você consegue ser, ou nada”      
(Tudo o que você podia ser - Lô Borges e Márcio Borges)



A gente nasce e começa a acumular matéria. O corpo cresce. Juntamos coisas, hábitos, opiniões, tradições, amores, aprendizados, deixamos nossas impressões marcadas no mundo.

O tempo passa, vamos recebendo as marcas do mundo na pele, aprendendo as perdas, as transformações da matéria. O corpo decresce em favor da sutileza, da presença de espírito, dos valores intangíveis.

Tudo o que era eu vira nós. Tudo o que achávamos certeza fica incerto, dissolve-se no todo. Sonho de uns, pesadelo de outros. Mesmo assim, um.

O desafio é amar a impermanência. A chave, saber-se eterno.

Desenho Vivo na Jã



Domingo, 11/11, 17h30


Contribuição voluntária R$15


Entrada pela Rua João Alberto Moreira, 50.(mapa)
próx. Metrô Vila Madalena
 




Lua Cheia dia 29/10 às 17h49, horário de verão, em Sampa



Por Patrícia Mattar Oliva



“teimosia é firmeza de caráter adulterada pela estupidez” – Nietzche



Assim como enxergamos a estupidez na manutenção de certos vícios por parte de seus usuários, podemos ver a estupidez de manter certos valores em nossa civilização. Por exemplo, voracidade e preconceito.

O politicamente correto existe para esconder a falta da verdadeira aceitação dos diferentes modos de vida, seja por parte do dominante ou do dominado.

A tão aclamada inclusão social está recheada de autoritarismo: todos devem ter os mesmos hábitos, desejar as mesmas coisas, ter o mesmo conceito de felicidade, saúde e segurança, tomar os mesmos remédios, consumir os mesmos objetos, almejar o mesmo luxo que no ano seguinte é lixo. É assim que a economia se mantém, produzindo emprego, desigualdade social e medo, muito medo! Depois, ninguém mais sabe o que fazer com o lixo... os países de menor PIB devem receber o que os ricos dispensam.

E a Lua nos pergunta: como manter a vida sem querer mais para si, sem voracidade ou preconceito?

Lua Jã - Arte do perdão na lua cheia




segunda, dia 29/10, às 20h30


Elizabete Poletto vai conduzir uma harmonização emocional pela essência das ervas. 

a proposta do ano astrológico é percorrer o zodíaco através de modalidades artísticas relacionadas a cada signo. 

nesse encontro, o sol em escorpião nos remete ao conhecimento das próprias emoções e à possibilidade de transformá-las, ao mergulho na própria essência. a lua em touro aponta para a consciência do corpo, da matéria, à manutenção da vida através da retenção, da constância dos hábitos. 

importante a pontualidade!

contribuição espontânea: cerveja em lata


Entrada pela Rua João Alberto Moreira, 50 (mapa)
próx. Metrô Vila Madalena

Lua Nova dia 15/10 às 9h02 em Sampa




Por Patrícia Mattar Oliva

Sol, Lua e Mercúrio em Libra. Saturno entra em Escorpião.

A grande escolha que podemos fazer na vida é ser feliz.

Os acontecimentos existem, a gente faz parte deles, somos co-autores dos fatos, e autores únicos da nossa interpretação de realidade. Essa é uma verdade bem fácil de ser entendida, mas muito difícil de ser incorporada em hábitos, de ser usada a favor da felicidade.

Muitas vezes é difícil sentir-se à vontade consigo mesmo, tanto dentro da própria pele como na relação com os outros. Por dentro existem dores e prazeres - que, se não fossem, inexistiria o fora. Espelhamos o dentro fora. Encontramos cúmplices e inimigos, que nos dão dicas dos estados internos.

O desafio é sentir-se cada vez mais à vontade consigo mesmo. A chave, ser autêntico, com esmero e sem autoritarismo.

Desenho vivo na Jã






Olá amigos da Desenhada na Jã!

Voltamos com mais um encontro de modelo vivo!
Neste próximo domingo, 07.10 às 17:30hs.

Vamos todos votar, e depois nos encontrar para desenhar no fim do nosso domingo.

Dessa vez, teremos duas modelos estudantes de cenografia e figurino e do curso de técnicas de palco, da SP Escola de Teatro, que se inspirarão principalmente nos artistas Egon Shiele e Gustav Klimt, trazendo para a cena algumas poses já executadas por modelos destes artistas.

Por favor,

Lembrem-se de trazer comes e bebes para nosso brinde no final da desenhada! uma cervejinha e petiscos caseiros muito bem vindos junto aos amigos.

Pediremos também, como sempre, uma contribuição voluntária de R$15 aos participantes.


Um beijo de Luisa e Manu.

Até domingo!


Entrada pela Rua João Alberto Moreira, 50.(mapa)
próx. Metrô Vila Madalena
 

Música Jã - Araticum



sábado, dia 06/10, às 17h

O grupo Araticum é fruto da união de 5 jovens compositores paulistanos apaixonados pela música brasileira e pela cultura dos seus países vizinhos, sul-americanos. Multi-instrumentistas, cada um dos integrantes pesquisa certas regiões do nosso continente e o resultado desse trabalho é claramente refletido em suas composições.

contribuição espontânea: cerveja em lata

Entrada pela Rua João Alberto Moreira, 50.(mapa)
próx. Metrô Vila Madalena
 


Lua Cheia dia 30/09 às 0h18 em Sampa




Por Patrícia Mattar Oliva
  
Lua conjunto com Urano em Áries; oposição ao Sol em Libra. Vênus em Leo, quadrado com Marte em Escorpião.

No auge do individualismo, a ostra. Daí, acontece o outro, a outra. Quando, pela vontade própria, por exercício de individualidade, a gente descobre a solidão, acontece a solidariedade.

Todo humano deseja liberdade de expressão, amor e poder pessoal. Daí, para conseguir chegar lá, escondemos violência, traição, egoísmo em mentiras bem pregadas. Porém, a Ética é. Mesmo que a consciência individual finita diga o contrário, a Ética é. Sempre.

Correção, justiça, segurança, saúde, educação, transparência são palavras muito faladas em véspera de eleição. Isso só tem um significado: é o que todos querem.

E a Lua nos pergunta: o que impede a sociedade de ter tudo o que todos querem?

Capoeira na Lua Cheia




O capoeirista e terapeuta Jó irá conduzir uma vivência de percepção do outro através dos movimentos da capoeira.

A proposta do ano astrológico é percorrer o zodíaco através de modalidades artísticas relacionadas a cada signo.

Nesse encontro, o sol em libra nos remete ao reconhecimento do ponto de vista alheio, a busca da beleza e equilíbrio entre as pessoas.
A lua em áries aponta para a manifestação individual, a afirmação do ser no mundo.


importante a pontualidade!


contribuição espontânea: cerveja em lata

próx. Metrô Vila Madalena
 

Lua Nova dia 15/09 às 23h11 em Sampa




Por Patrícia Mattar Oliva


Lua, Sol e Mercúrio em Virgo.

“se quero me defender do desgosto, rezo ao Diabo: aquele que, através da falta, nos leva a querer melhorar... e pela presença também.”

A consciência ampliada pede pureza, distinção entre o que é falso e o que é verdadeiro, autenticidade.

Nada pode ser puro se for inútil, diz o pensamento prático. É preciso fazer acontecer, colocar o sonho na concretude do mundo. E para isso é preciso abrir mão da rigidez, é preciso convencer os que estão em desacordo com o sonho pessoal.

Nem sempre os humanos conspiram a favor de Vida, apesar de termos horror à Morte.

O desafio é distinguir o que vem de si mesmo do que vem do outro. A chave, ouvir as próprias rezas.

Musica Jã - Quatro a Zero




sábado, 15/09 às 17h30

O Quatro a Zero vem trilhando um caminho peculiar na música brasileira. Faz uma música instrumental que tem como principal referência o choro, aprofundando-se na linguagem e nas sutilezas desta rica tradição musical. Ao mesmo tempo, realiza um alargamento das fronteiras deste gênero: de uma perspectiva contemporânea, promove o encontro do choro com outras linguagens, produzindo uma música original que transcende rótulos.

Seus integrantes também participam de outros projetos nas mais diversas vertentes musicais – do jazz contemporâneo à música erudita, passando por choro tradicional, música latina, samba, música regional, MPB e música pop. Essa amplitude de experiências, somada às pesquisas individuais que cada um desenvolve e oferece ao demais, confere ao grupo riqueza de elementos e potencial de desenvolvimento.

A essência da música do Quatro a Zero está na realização coletiva dos arranjos, que incorporam as diferentes referências que cada músico traz ao grupo, a partir de um repertório escolhido dentro do vasto universo do choro e que inclui também composições originais. A improvisação se faz intensamente presente – a espontaneidade individual ganha sentido na interação criativa entre os componentes –, assim como a juventude e o bom-humor – o quarteto dá atenção ao aspecto lúdico, presente no choro desde os seus primórdios.


contribuição espontânea: cerveja em lata

Entrada pela Rua João Alberto Moreira, 50.(mapa)
próx. Metrô Vila Madalena
 

Cinema Jã - Vinicius



Terça-feira, 04/09, 20h


Ficha Técnica
Diretor: Miguel Faria Jr.
Elenco: Ricardo Blat, Camila Morgado, Antonio Candido e outros
Duração: 124 min
Ano de produção: 2005
Gênero: Documentário




A montagem de um show é o ponto de partida para a reconstituição de uma trajetória sem paralelos no cenário cultural do país. A vida, os amigos, os amores de Vinicius de Moraes, autor de mais de 400 poesias e cerca de 400 letras de música. A essência criativa do artista e filósofo do cotidiano e as transformações do Rio de Janeiro através de raras imagens de arquivo, entrevistas e interpretação de muitos de seus clássicos.


Com depoimentos comoventes e curiosos de amigos e grandes personalidades brasileiras como Caetano Veloso, Ferreira Gullar, Gilberto Gil, Maria Bethânia, Tônia Carrero, Toquinho, Carlos Lyra, Antônio Candido, Edu Lobo, Francis Hime e Miúcha, o longa traz interpretações de Camila Morgado – que se destacou por seu trabalho na minissérie “A Casa das Sete Mulheres” – e de Ricardo Blat, ator com sólida formação teatral e que realizou diversos trabalhos no cinema e na TV, como por exemplo na minissérie global “Hoje É Dia de Maria”. Trata-se de um "show", que alinhava o documentário, com os atores dizendo poemas e grandes músicos da MPB – Adriana Calcanhoto, Olívia Byington, Zeca Pagodinho, Yamandú Costa, Renato Braz, Mônica Salmaso, Mariana de Maraes, Sergio Cassiano, MS Bom, Nego Jeif, Lerov e Mart´Nália – interpretando grandes sucessos musicais de Vinicius.

Nascido em 1913 no Rio de Janeiro de família de classe média, Vinicius de Moraes foi testemunha e personagem de importantes transformações na cidade e desenvolveu um dos percursos mais originais e fecundos da cena cultural brasileira do século XX. Grande poeta, com inúmeros livros publicados e diplomata, ousou em 1956 reunir a cultura erudita e popular no musical Orfeu da Conceição, cujo filme que ganhou a Palma de Ouro no Festival de Cannes, em 1956, além de um Oscar de Melhor Filme Estrangeiro. Nem é preciso dizer que a canção “Garota de Ipanema”, que criou em parceria com Tom Jobim é uma das músicas mais tocadas em todo o mundo, em todos os tempos.

O longa não se limita  à vida artística de Vinicius, mas revela também sua vida pessoal, marcada por paixões, casamentos, filhos e amizades retratados por raridades pesquisadas em arquivos  fruto de depoimentos de amigos e familiares.

Texto: Paula Dip



Entrada pela Rua João Moura, 2360.(mapa)
próx. Metrô Vila Madalena


Contribuição: Cerveja em lata

Lembrete: nossas sessões são realizadas ao ar livre portanto se no dia estiver frio, venha bem agasalhado.

Lua Cheia dia 31/08 às 10h58 em Sampa



Por Patrícia Mattar Oliva



“diz o I Ching/ divino é saber/ o que distingue/ você de você/ você dos outros/ do outro você/ você do mundo/ do você do ser” – Você e Você – Gilberto Gil


Urano em Áries quadratura com Plutão em Capricónio na segunda Lua Cheia do mês!

Sobre a inconsistência e fragilidade da consciência humana: paradoxos.

Se acreditamos que o Universo é perfeito e harmonioso, por que todas as religiões pregam o aperfeiçoamento humano? E mais: todas pregam aceitar os desígnios divinos!

Nós, terráqueos, temos mania de achar que estamos separados do céu, como se isso fosse possível. Dividir céu e terra - natureza e humanidade - faz com que a gente se sinta fora do Grande Mistério.

Acreditamos que somos imperfeitos dentro de um Universo perfeito. Buscamos harmonia, quando já estamos nela.

O desafio é decifrar a perfeição da nossa vida individual. A chave, perceber o prazer que temos quando promovemos virtudes.

Delicadezas na Lua Cheia (Lua Jã)



sexta, 31 de agosto, às 20h30


o artista leandro carvalho irá conduzir uma oficina de desenho com grãos.

a proposta do ano astrológico é percorrer o zodíaco através de modalidades artísticas relacionadas a cada signo.  


nesse encontro, o sol em virgem nos remete ao detalhe percebido pelos olhos abertos, precisão;
à importância do esmero e organização, à busca pela perfeição.a lua em peixes aponta para a totalidade, o sonho, o dissolver-se no entorno, a magia da percepção dos olhos fechados.


importante a pontualidade!


contribuição espontânea: cerveja em lata

próx. Metrô Vila Madalena
 



Lua Nova dia 17/08 às 12h54 em Sampa.



Por Patrícia Mattar Oliva


Sol, Lua em Leão, sextil com Marte e Saturno em Libra.

A Vida ensina a busca de harmonia e perfeição, mesmo sem que a gente queira.

Tornar a convivência cada vez melhor é o processo chamado de civilização. E isso depende da condução dos governantes e da disposição de cada cidadão.

Vivemos, aqui no Brasil, o julgamento de políticos, com muita expectativa - por parte da população - de que acabe a impunidade dos que podem mais e legislam a favor de privilégios próprios.

Saber do poder pessoal e usá-lo com nobreza faz do homem um rei, o governante da própria vida. Podemos aproveitar o momento de ansiedade por Justiça para um auto julgamento, exame de consciência, ser o juiz de si mesmo.

O desafio é perceber a característica dominante na nossa personalidade, definir que “rei sou eu”. A chave, enxergar onde manipulamos privilégios em detrimento do alheio.

Desenho-Vivo



domingo, 19/08, 17h30




Após as férias, o desenho na jã está de volta. no próximo domingo, faremos o primeiro encontro do semestre. tragam seus materiais, e tragam aqueles deliciosos comes e bebes para o brinde no final!


próx. Metrô Vila Madalena
 

Musica Jã - Paulo Freire e Ana Salvagni




sábado, 11/08 às 17h30
Paulo Freire e Ana Salvagni
viola e voz


contribuição espontânea: cerveja em lata

Entrada pela Rua João Alberto Moreira, 50.(mapa)
próx. Metrô Vila Madalena
 

Lua Jã - Cantar na Lua Cheia.




quinta, 2 de agosto, às 20h30.

Inline image 1

a cantora e maestrina ana salvagni irá conduzir uma oficina com a intenção de colocar a voz de cada um dentro de um contexto coletivo.

a proposta do ano astrológico é percorrer o zodíaco através de modalidades artísticas relacionadas a cada signo.  

nesse encontro, o sol em leão nos remete ao talento pessoal, à individuação plena: ao querer, prazer e postura de cada um.  a lua em aquário aponta para o grupo, a solidariedade, a permissão ao outro de participar da nossa vida, a atitude do indivíduo no cenário global. 


importante a pontualidade!


contribuição espontânea: cerveja em lata

próx. Metrô Vila Madalena
 


Lua Cheia dia 02/08 às 0h27 em Sampa




Por Patrícia Mattar Oliva



Sol e Mecúrio em Leão, Lua Cheia em Aquário, trígono com Júpiter em Gêmeos.

Nem tanto rei, nem tanto súdito. Nem tanto ser, nem tanto súbito.

O entendimento dos acontecimentos pelo ponto de vista causa e efeito gerou conforto e abundância para a espécie humana. E muitas inquietações sobre a origem das coisas. Os símbolos de poder – antes raros e disputados por heróis - são adquiríveis, independente do uso dado ou da nobreza de quem os compra.

As pessoas carregam o que aguentam. Se pesar, larga. Se prazer, também larga. Que a gente é finito.

A ideia da simultaneidade entre o que acontece conosco e o que acontece com o alheio é algo que ainda carece de medidor. Fica tudo muito subjetivo. É isso mesmo que nossa consciência pede: subjetividade. E a alma pede o alheio, ou perdemos o padrão.

E a Lua nos pergunta: como tornar-se infinito? ou: como transcender o tempo?

Lua Nova dia 19/07 às 1h24 em Sampa




Por Patrícia Mattar Oliva

“A medicina cria pessoas doentes, a matemática, pessoas tristes, e a teologia, pecadores.” (Martinho Lutero)

As grandes causas viram rotinas, cotidiano. E podemos trocar a ordem das palavras: rotinas viram grandes causas.

O pensamento, que nos abre os caminhos, dá uma chance para a memória. A urgência de justiça se depara com a inércia do tempo. Ação e reação, tudo clama por mudança. Por tudo, entenda-se cada um de nós.

O desafio é parar de repetir-se, mudar o senso comum. A chave, honrar as emoções. Aliás, honra é um encontro entre a emoção de reconhecer-se e a razão ancestral de existir.

Lua Cheia dia 03/07 às 15h52 em Sampa




Por Patrícia Mattar Oliva


Marte entra em Libra, Mercúrio em trígono com Urano.

Estamos presenciando uma mudança na mentalidade humana: cada vez mais pessoas se concientizam de sermos da mesma tribo, por maior que seja a diferença de compreensão do mundo nas diversas culturas. Brancos, pretos, amarelos ou vermelhos pertencemos ao corpo terrestre e vamos juntos com a Terra para onde ela nos levar.

Nossos ancestrais lutaram muito contra a natureza selvagem para sobreviver e isso faz parte da mitologia e da memória humana. Mas é impertinente na nossa época onde tantos aparatos nos distanciam da natureza primitiva, e nos colocam em desrespeito a ela.

E a Lua nos pergunta: como mudar a estrutura social sem mudar o própria mitologia? ou ainda: as suas ambições são congruentes com suas aspirações?

Lua Jã - Virtudes na Lua Cheia




terça, 3 de julho , às 20h30
virtudes na lua cheia.      


xico raffaelli - o homem mais velho do mundo aos 40 e poucos anos - vem contar suas experiências com a arte culinária, virtudes, saúde e longevidade.


a proposta do ano astrológico é percorrer o zodíaco através de modalidades artísticas relacionadas a cada signo.  

nesse encontro, o sol em câncer nos remete à nutrição do corpo e da alma, às memórias ancestrais, às emoções primevas. a lua em capricórnio aponta para o desenvolvimento individual, as metas e os métodos de conquista, a sabedoria do tempo.


importante a pontualidade!


contribuição espontânea: cerveja em lata

próx. Metrô Vila Madalena
 


Música Jã - Festa da Cumieira



Sábado 23/06 às 17h30



contribuição espontânea: cerveja em lata

Entrada pela Rua João Alberto Moreira, 50.(mapa)
próx. Metrô Vila Madalena
 

Lua Nova dia 19/06 às 12h02 em Sampa.



Por Patrícia Mattar Oliva

"a vida não é mais do que o ato da gente ficar
no ar
antes de mergulhar." (Trampolim, Maria Bethania e Caetano Veloso)



A Terra presenciou vários eventos interessantes durante esse trânsito do  Sol por Gêmeos. Logo na entrada, a Lua Nova eclipsou o Sol. Durante a Lua Cheia, Vênus passa em frente ao Sol: trânsito raro para o tempo de uma vida humana. Daí, Júpiter entra em Gêmeos e agora acontece uma segunda Lua Nova em Gêmeos.

A civilização ocidental judaico cristã treina a mente para o exercício da lógica, causa e efeito, argumentos, eficiência prática. Lua e Vênus são símbolos do feminino, do segredo magnético. A insistência delas em passar, no signo de Gêmeos e em momentos nobres, na frente do Sol - símbolo masculino, central na consciência do homem branco - sugere uma mudança de mentalidade para nossa humanidade, uma valorização das emoções, sonhos, colaboração e harmonia: um pensamento mais coletivo, tribal.

O desafio é manter a mente tão leve como a gota d’água que brilha ao Sol, presa à teia da aranha. A chave, perceber a leveza da eternidade.

Desenho-Vivo



Domingo 24/06 às 17h30


Tragam comes e bebes para um brinde no final

Entrada pela
 Rua João Alberto Moreira, 50.(mapa)
próx. Metrô Vila Madalena
 

Lua Cheia dia 04/06 às 8h12 em Sampa.




Por Patrícia Mattar Oliva


Sol e Mercúrio em Gêmeos, Vênus também em Gêmeos, quadrado com Marte em Virgo.

“A graça que vem de cima/ E vem de graça/ Porque é a graça/ E é divina.” – Graça Divina, Caetano Veloso e Jorge Mautner.

As relações humanas são frutos de interesses pessoais e trocas interpessoais. O que se tem é moeda de troca para o que se deseja conseguir. O valor de cada coisa é relativo, dependendo do lugar e momento em que a troca acontece. E, muitas vezes, toma-se o que se quer à força ou por métodos ignóbeis, apesar de serem validados por lindos discursos e justificativas.

As relações entre grupos, paises, etnias obedecem à mesma lei. Isso sempre aconteceu e acontece sob qualquer pretexto político ou religioso.

Estamos vendo etnias, culturas e reinos naturais inteiros serem destroçados por ganância e falta de respeito pelas diferenças, consequência da relatividade dos valores, da prepotência de quem está no poder.

E a Lua nos pergunta: como conseguir a Luz valorizando apenas uma cor? ou: como chegar ao Absoluto sem considerar o Arco Iris?